sexta-feira, 16 de outubro de 2009

HONDURAS: A LUTA POR DEMOCRACIA


É realmente estranho ver o Cardeal Rodrigues de Honduras discursando a favor da derrubada do Presidente hondurenho eleito pelo povo. E colocar-se a favor da ditadura militar. Desculpem-me, não há nada de estranho. A igreja romana, centrada no século IX da nossa era é assim mesmo. Rasga seus princípios - se é que eles ainda existem - de estar junto ao povo nos seus clamores e faz no seu contrário, se alia ao retrocesso político e ideológico.


Em contra-partida, e frente a ação conservadora e reacionária do Vaticano, o Brasil coloca-se como alavanca para garantir a vontade popular daquele país. Mas, qual é o cerne da questão? Trata-se da consulta popular plebicitária sobre a reeleição do atual presidente. A elite hondurenha aliada a direita dos USA - que nesta situação vêem seus interesses ameaçados - não querem a consulta popular. Porém, o presidente da Colômbia - aliado dos USA - fez a mesma consulta, aprovou no congresso e não houve reações conservadoras e nem golpe militar. A realidade dos fatos produz a seguinte indagação: o que é democracia mesmo?

Democracia dentro do sistema capitalista é o regime ou forma de governo que se alia aos interesses do próprio capitalismo. Colocar-se em posição conflitante e ou contrária, deixa de ser democracia. Como nós brasileiros sabemos: democracia e pensar como a globo, a folha de são paulo dentre outros. É pensar como a frente ruralista do Caido. É pensar como mercadoria a venda em qualquer buteco. Pensar na força do povo, lutar contra a expropriação da dignidade humana, produzir políticas públicas que alcance a maioria da população é considerado - pelas elites - como antidemocratico. Estes neoliberais será que, ainda, não entenderam que a crise de 2008 já disse não a estes postulados? Mas, que falta de intelecção!

Felizmente, o povo hondurenho está nas ruas protestando e garantindo um processo de negociação e busca de solução na perspectiva popular.

O presidente deposto é anti-democratico. O tratamento a bala dispensado a população civil pelos militares, a serviço das elites hondurenhas e americanas, é democracia.

Um comentário:

Giuliano Pietoso disse...

Muito bom o artigo. Se não me engano a Dawn Ades tem um livro muito bacana sobre essa temática, uma pena que não estou em casa agora se não colocaria o link aqui, mas de qualquer forma parabéns pelo artigo!!